Visando o sucesso de seu empreendimento, deve ter ciência de que o passo de maior importância é a criação de um plano de negócios. Vou elucidar aqui os tópicos de necessidade dentro deste processo.

12% de um plano,ainda é um plano.

12% de um plano, ainda é um plano.

Boas ideias tendem a morrer sem um planejamento estruturado, já citado anteriormente e reforçado pelo SEBRAE 31% das empresas sem um plano de negócios encerram suas atividades no primeiro ano, chegando a 60% no quinto ano.

Seu Plano de Negócios será seu norteador, irá lhe prover as informações necessárias para interagir com o mercado, otimizando a apresentação dos produtos e serviços a serem ofertados, estreitando seus laços com clientes e fornecedores e lhe preparando para lidar com seus possíveis concorrentes. A viabilidade do seu negócio só é possível se você tiver conhecimento sobre todas as nuances do mesmo, custos, despesas e seu faturamento.

Plano de Negócios lhe possibilita visualizar todo o cenário com antecedência, faça-o com detalhe, revise os possíveis erros. Tenha-o como um documento vivo , um registro de todas as medidas tomadas sempre com o objetivo de melhoria em suas atividades, deve guiar-se por ele desde o início até o desenvolvimento de sua empresa.

Plano de Negócios é fundamental para definir o rumo de sua empresa, definir aonde e como chegar, transformando sua ideia em algo visível e tátil para até mesmo possíveis investidores.

Seu Plano de Negócios deve ter por base a coleta de informações sobre o mercadoo público alvo definido, fornecedoresconcorrentesclientes e suas necessidades.

Suas estratégias de negócios e planejamento de marketing partirão dessas informações, defina sua identidade, produtos e serviços e os aspectos, operacionais, jurídicos e financeiros do seu negócio.

Veja a estrutura de um Plano de Negócios:
(Fonte:SEBRAE)

1 – Sumário Executivo:

O sumário executivo é um resumo do PLANO DE NEGÓCIO.

Não se trata de uma introdução ou justificativa e, sim, de um sumário contendo seus pontos mais importantes. Nele irá constar:

  • Resumo dos principais pontos do plano de negócio;
  • Dados dos empreendedores, experiência profissional e atribuições;
  • Dados do empreendimento;
  • Missão da empresa;
  • Setores de atividades;
  • Forma jurídica;
  • Enquadramento tributário;
  • Capital social;
  • Fonte de recursos.

2 – Análise de mercado:

Esta é uma das etapas mais importantes da elaboração do seu plano.

Afinal, sem clientes não há negócios. Os clientes não compram apenas

produtos, mas soluções para algo que precisam ou desejam. Você

pode identificar essas soluções se conhecê-los melhor. Para isso,

responda às perguntas e siga os passos a seguir:

1º passo: identificando as características gerais dos

clientes

Se pessoas físicas

  • Qual a faixa etária?
  • Na maioria são homens ou mulheres?
  • Têm família grande ou pequena?
  • Qual é o seu trabalho?
  • Quanto ganham?
  • Qual é a sua escolaridade?
  • Onde moram?

Se pessoas jurídicas (outras empresas)

  • Em que ramo atuam?
  • Que tipo de produtos ou serviços oferecem?
  • Quantos empregados possuem?
  • Há quanto tempo estão no mercado?
  • Possuem filial? Onde?
  • Qual a sua capacidade de pagamento?
  • Têm uma boa imagem no mercado?

3 – Plano de Marketing:

Aqui você deve descrever os principais itens que serão fabricados, vendidos ou os serviços que serão prestados. Informe quais as linhas de produtos, especificando detalhes como tamanho, modelo, cor, sabores, embalagem, apresentação, rótulo, marca, etc. Se necessário, fotografe os produtos e coloque as fotos como documentação de apoio ao final do seu plano de negócio. Para empresas de serviço, informe quais serviços serão prestados, suas características e as garantias oferecidas. Lembre-se de que a qualidade do produto é aquela que o consumidor enxerga. Quando decidir melhorar um produto ou um serviço, pense sempre sob o ponto de vista do cliente.

  • Verifique se há regulamentos ou exigências oficiais a serem atendidas (vigilância sanitária, normas técnicas, etc.) para a produção ou acondicionamento dos produtos vendidos por você.

4 –Plano Operacional:

Por meio do layout ou arranjo físico, você irá definir como será a distribuição dos diversos setores da empresa, de alguns recursos (mercadorias, matérias-primas, produtos acabados, estantes, gôndolas, vitrines, prateleiras, equipamentos, móveis, matéria-prima etc.) e das pessoas no espaço disponível. Um bom arranjo físico traz uma série de benefícios, como: • aumento da produtividade; • diminuição do desperdício e do retrabalho; • maior facilidade na localização dos produtos pelos clientes na área de vendas; • melhoria na comunicação entre os setores e as pessoas. O ideal é contratar um profissional qualificado para ajudá-lo nessa tarefa, se isso não for possível, faça você mesmo um esquema, distribuindo as áreas da empresa, os equipamentos, móveis e as pessoas de forma racional e sensata.

 5 – Plano Financeiro:

Nessa etapa, você irá determinar o total de recursos a ser investido para que a empresa comece a funcionar. O investimento total é formado pelos:

  • investimentos fixos;
  • capital de giro;
  • investimentos pré-operacionais.

 6 – Construção de cenários:

Após a finalização do seu plano de negócio, simule valores e situações diversas para a empresa. Prepare cenários onde o negócio obtenha resultados pessimistas (queda nas vendas e/ou aumento dos custos) ou otimistas (crescimento do faturamento e diminuição despesas). A partir daí, pense em ações para evitar e prevenir-se frente às adversidades ou então para potencializar situações favoráveis. Faça quantas simulações julgar necessário e tenha sempre alternativas de ações (plano B).
Na construção de cenários é fundamental considerar algumas possibilidades:

  • nos primeiros meses, as vendas serem menores que o previsto;
  • o início das atividades ser um pouco mais demorado que o programado;
  • estratégias de marketing podem não surtir os efeitos esperados no curto prazo;
  • necessidade de obter mais recursos financeiros que o previamente planejado;
  • possíveis reações de concorrentes.

 7 – Avaliação estratégica:

A matriz F.O.F.A. é um instrumento de análise simples e valioso. Seu objetivo é detectar pontos fortes e fracos, com a finalidade de tornar a empresa mais eficiente e competitiva, corrigindo assim suas deficiências.

F.O.F.A. é um acróstico para:

Força
Oportunidades

Fraquezas

Ameaça

A análise F.O.F.A. levará você pensar nos aspectos favoráveis e desfavoráveis do negócio, dos seus proprietários e do mercado.

A matriz F.O.F.A. é sempre feita em quadrantes, ou seja, em quatro quadrados iguais.

Em cada quadrado são registrados fatores positivos e negativos para a implantação do negócio.

Saiba como construir a matriz lendo as explicações a seguir.

  • Na análise do ambiente externo, existe a chamada “faca de dois gumes”, isto é, situações que são ao mesmo tempo oportunidades e ameaças. Por exemplo, o crescimento do setor onde se atua, pode representar tanto uma oportunidade de aumento das vendas, como uma ameaça por facilitar a entrada de novos concorrentes.
  • Seja honesto e objetivo ao elaborar essa análise. Não seja pessimista ou otimista em excesso. Procure enfocar a realidade e não como você gostaria que as coisas fossem. O ideal é que você registre sempre uma ideia por linha, isso torna a avaliação mais fácil.

8 – Avaliação do Plano de Negócio:

O Plano de Negócio desenvolvido por você é um valioso instrumento de planejamento. Por ser o seu mapa de percurso, ele deve ser consultado e acompanhado constantemente. Avalie cada uma das informações e lembre-se de que o plano de negócio tem por objetivo ajudá-lo a responder as principais dúvidas acerca da estrutura do seu negócio. Saiba que o mundo e o mercado estão sujeitos a mudanças; a cada dia surgem novas oportunidades e ameaças. Assim sendo, procure adaptar seu planejamento às novas realidades. É por este motivo que um plano de negócio é “feito a lápis”, para que possa ser corrigido, alterado e ajustado. Procure refazer seu plano de tempos em tempos. Empreender é sempre um risco, mas empreender sem planejamento é um risco que pode ser evitado. O plano de negócio, apesar de não ser a garantia de sucesso, irá auxiliá-lo a tomar decisões mais acertadas, assim como a não se desviar de seus objetivos.

Não sabe por onde começar?
Contate a Focando Certo e nós lhe daremos a direção.